sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

É a vida!

Mas parece que eu não aprendo, mesmo!


Um comentário:

carolinda disse...

se a gente aprendesse e nunca mais errasse será que não pararíamos de sentir?